O ministro da Administração Interna garantiu hoje que o dispositivo especial de combate a incêndios florestais "está preparado nos meios máximos" e anunciou um reforço da fiscalização e patrulhamento durante os próximos dias, envolvendo também a Força Aérea.

Eduardo Cabrita falava na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide, Oeiras, a propósito do dispositivo de prevenção e combate a incêndios rurais que está a postos para enfrentar entre hoje e domingo elevadas temperaturas (nalguns casos a rondar os 40º), vento seco de leste, com rajadas, baixa humidade do ar e "noites tropicais", e que levou a decretar alerta vermelho para 13 distritos do país.

Segundo o ministro, a fiscalização e o patrulhamento da GNR nos próximos dias será realizada de "modo mais efetivo nas zonas de maior risco", com a Força Aérea (FA) a apoiar esta missão com 85 patrulhas e 170 efetivos.

Eduardo Cabrita revelou ainda que um helicóptero da FA transportará, a partir de Vila Real, militares da GNR e operacionais da Proteção Civil em missões de vigilância aérea nas zonas de maior risco de incêndio.

"Tudo está preparado", enfatizou o ministro, apelando à população em geral para que cumpra à risca as recomendações da Proteção Civil - não fazer queimas, queimadas, trabalhos agrícolas com material gerador de risco ou ignições - sob pena de tais comportamentos configurarem um "crime de desobediência", punível criminalmente.

O ministro indicou igualmente que empresas como a REN e a EDP suspenderam os trabalhos de manutenção habitualmente efetuados nas zonas rurais para se evitar a possibilidade de incêndio.

Eduardo Cabrita aproveitou para elogiar a capacidade de resposta demonstrada pelo dispositivo nos cerca de 8.000 incêndios já registados este ano, o que fez baixar a área ardida relativamente ao ano anterior.

Quanto à campanha de sensibilização e prevenção junto das populações rurais, o ministro revelou que até às 10:00 de hoje já tinham sido recebidos mais de quatro milhões de SMS nos distritos em alerta vermelho e contabilizados 600 pedidos de esclarecimento.

No capítulo das condições atmosféricas, o ministro apontou que, até ao momento, já se registaram temperaturas acima dos 40º em Alvega, no Ribatejo.

Eduardo Cabrita aludiu ainda às previsões de vento leste seco e com rajadas de 70 a 80 kms/hora e humidade relativa muito baixa, bem como a "noites tropicais" acima dos 20º.

No continente, 13 distritos estão em alerta vermelho entre hoje e domingo e os restantes em alerta laranja.