A notícia sugeria uma ligação do eurodeputado Paulo Casaca ao braço político da resistência do Irão, através de um seu assessor.









«Não podia deixar de chamar a atenção da dedicação do eurodeputado português a uma causa que não é propriamente popular em Portugal»