O cabeça de lista às europeias do PSD disse hoje, enquanto visitava, no Porto, o i3S - Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, que a criação de um plano de luta contra o cancro é uma "bandeira eleitoral".

"O PSD, juntamente com o PPE [Partido Popular Europeu], tem um plano global de luta contra o cancro como uma das suas bandeiras principais eleitorais. O objetivo é criar um investimento sem igual e sem paralelo na área da investigação e tratamento do cancro e sobretudo na ligação entre o conhecimento e o tratamento clínico", disse Paulo Rangel.

O candidato do PSD visitou esta manhã o i3S, uma instituição da Universidade do Porto que tem 13 plataformas científicas e que foi descrita por Rangel como "a maior do país na sua área".

O cabeça de lista social-democrata também destacou o trabalho deste instituto com o Instituto Português de Oncologia do Porto e explicou aos jornalistas que escolheu iniciar o último dia de campanha para as eleições de domingo nesta instituição para "mostrar o quão importante são para o PSD a ciência e a inovação".

"Viemos debater e apresentar o nosso plano [de luta contra o cancro] e também viemos recolher informação", disse o candidato que, ao longo da visita, ouviu o diretor do i3S, Mário Barbosa, enumerar as necessidades do instituto.

"É necessário um plano de reequipamento para manter o nível de competição elevado", referiu o diretor quando mostrava a Paulo Rangel a plataforma bioquímica e de tecnologia.

Em resposta, o candidato lembrou o seu 'número três' da lista às europeias: "Temos lá [na União Europeia] o José Manuel Fernandes que tem muita influência na discussão dos orçamentos. É importante que os eurodeputados conheçam as necessidades dos institutos e instituições como estas", disse.

Já sobre o plano de luta contra o cancro, Paulo Rangel descreveu, à saída da visita, que o objetivo é que "tenha o mesmo impacto que tem, por exemplo, um programa espacial", frisando tratar-se de "uma proposta realista e pela positiva do PSD".

E, por fim, questionado sobre se a palavra "cansaço" entra no seu vocabulário, já que hoje é o último dia de campanha, o candidato garantiu que se sente "como no primeiro dia".

"Hoje não me sinto nada cansado, mas, obviamente que ao fim de 15 dias de campanha, as pessoas acusam um certo desgaste. Mas, como o entusiasmo, a confiança e a determinação são muitos, supero qualquer cansaço físico. Hoje a campanha será como se fosse o primeiro dia. Vamos lutar até ao último minuto para conquistar a confiança dos portugueses e estou certo que essa confiança se vai manifestar no domingo", concluiu.