O candidato à liderança do PSD Paulo Rangel reiterou uma “posição de princípio” contra coligações pré-eleitorais com o CDS-PP, enquanto o presidente e recandidato Rui Rio disse nem ter resposta, face à disputa interna no partido.

Não tenho resposta para isso, perguntem ao meu adversário. Tal como não tenho para muitas coisas no âmbito da preparação da campanha [para as legislativas]”, respondeu Rui Rio, questionado no final do Conselho Nacional se o calendário hoje aprovado dá tempo ao PSD de decidir por uma eventual coligação pré-eleitoral como CDS-PP.

O presidente social-democrata admitiu que a sua Comissão Política Nacional até pode decidir sobre a matéria, mas, vivendo o partido uma disputa interna, corre-se o risco de o líder do partido “ser outro”.

À mesma pergunta, Paulo Rangel reiterou ter “uma posição de princípio” contrário a coligações pré-eleitorais, que “não deve sofrer alterações”.

Em todo o caso, o espaço que medeia entre diretas e Congresso dará imenso tempo se quisermos para alguma conversação, se fosse essa a vontade dos órgãos do partido, mas não alimentaria grandes expectativas”, afirmou.

O Conselho Nacional no PSD aprovou no sábado a marcação de eleições diretas para escolher o próximo presidente do partido para 27 de novembro e o Congresso para os dias 17, 18 e 19 de dezembro.

Esta proposta foi a defendida pelo candidato à liderança Paulo Rangel e teve 76 votos a favor, 28 contra e 18 abstenções.

/ MJC