O comunista Bernardino Soares vai recandidatar-se à presidência da Câmara de Loures, no distrito de Lisboa, nas eleições autárquicas deste ano, para “dar continuidade aos projetos de desenvolvimento do concelho”, anunciou esta sexta-feira o autarca.

Bernardino Soares, de 49 anos, chegou à presidência da Câmara Municipal de Loures em 2013, depois de ter ocupado durante 18 anos o cargo de deputado na Assembleia da República pelo PCP.

Em declarações à agência Lusa, o autarca comunista afirmou que a motivação de recandidatura se prende com a “vontade de dar continuidade aos projetos que já estão em curso”.

A motivação é continuar a fazer um trabalho muito intenso, exigente, mas muito gratificante para o desenvolvimento deste concelho. Um concelho que passou de ser um concelho endividado, sem projetos, sem credibilidade, para passar a ser em muitas áreas políticas municipais referência a nível nacional”, sublinhou.

Bernardino Soares apontou para o próximo mandato, caso vença as eleições, a concretização de projetos na área dos transportes, habitação, ambiente e economia.

Em causa estão, referiu o autarca, projetos como a reabilitação urbanística da zona oriental, investimento na habitação e as construções de um passeio ribeirinho, de um centro cultural, de um estádio municipal e de um ‘interface’ de transportes.

A apresentação pública da recandidatura de Bernardino Soares à Câmara Municipal de Loures pela CDU, coligação que junta PCP e "Os Verdes", vai decorrer esta tarde, numa cerimónia que irá contar com presença do secretário-geral dos comunistas, Jerónimo de Sousa.

Além de Bernardino Soares, já anunciaram a candidatura à Câmara Municipal de Loures o socialista Ricardo Leão, atual presidente da Assembleia Municipal, e o social-democrata Nélson Batista, que ocupa o cargo de presidente da Junta de Freguesia de Lousa, na zona norte do concelho.

O atual executivo é composto por quatro eleitos da CDU (incluindo o presidente), quatro do PS e três da coligação Primeiro Loures (PSD/PPM).

De acordo com a lei, as eleições autárquicas têm de ser marcadas pelo Governo para o período entre 22 de setembro e 14 de outubro.

/ CE