A ‘rentrée’ comunista vai apresentar-se como o “momento alto” das comemorações do centenário do PCP, repetindo as medidas aplicadas em 2020 por causa da pandemia, que poderão ser alteradas mediante o parecer da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A Festa do Avante! regressa à Quinta da Atalaia, no Seixal (distrito de Setúbal), entre 03 e 05 de setembro, para a 45.ª edição, que este ano coincide com o centenário do partido e, por isso, vai ser “o momento alto das comemorações”, disse Alexandre Araújo, membro do Comité Central do PCP, em conferência de imprensa para apresentar a rentrée comunista.

Entre as várias iniciativas previstas estão o momento simbólico de içar 100 bandeiras do partido por elementos da Juventude Comunista Portuguesa (JCP), uma exposição “inteiramente dedicada” ao centenário e ainda “o espetáculo que abrirá o palco 25 de Abril, na sexta-feira, da 'Revolução na Arte e a Arte na Revolução'”, explicitou, assim como mais de 60 debates, que compõem o programa político.

A edição deste ano é a segunda em pandemia, mas muito mudou de um ano para o outro e há atividades que regressam, como, por exemplo, as desportivas, nomeadamente através dos torneios de futsal, no sábado (04) e domingo (05).

Contudo, as medidas decretadas para mitigar a propagação do SARS-CoV-2 em 2020 mantêm-se e o partido garante que “voltará a ser a prova de que é possível garantir a segurança e a proteção no plano da saúde, e, simultaneamente, fruir a vida, usufruir da cultura e do convívio”, sublinhou Alexandre Araújo.

Locais para lavagem e desinfeção das mãos espalhadas pelo recinto, circuitos de circulação “devidamente identificados”, a recomendação da utilização de máscaras “nos locais indicados”, o aumento das áreas de esplanada e a organização de mesas para garantir o distanciamento físico, assim como a definição de lugares sentados nos locais de espetáculos são algumas das medidas implementadas há um ano e reeditadas para 2021.

O dirigente comunista também recomendou a todos os “visitantes, com mais de 12 anos, que sejam portadores de comprovativo de vacinação, de recuperação da doença ou teste negativo”, acrescentando que a organização da Festa do Avante! vai disponibilizar “junto da entrada da festa uma área onde será possível a realização de testes rápido” e outra para "autotestes".

Alexandre Araújo também disse que a resposta da DGS ao plano de contingência enviado pelo partido para a rentrée está “para breve” e que serão adotadas as recomendações feitas, incluindo “no acesso de visitantes ao recinto”.

Questionado pelos jornalistas sobre se poderia estar 'em cima da mesa' a obrigatoriedade de apresentação de um teste à presença do SARS-CoV-2 ou do certificado digital, o membro do Comité Central do PCP disse que o partido apenas se pronunciará depois do parecer da autoridade sanitária.

A edição de 2021 da Festa do Avante! também vai ser uma 'ode' à música de Zeca Afonso, em particular, ao 50.º aniversário da edição do álbum “Cantigas do Maio”.

De acordo com Madalena Santos, da organização, foi “lançado um repto a todos os artistas para integrarem no seu espetáculo uma música, uma faixa, do disco de Zeca Afonso”, um álbum “extremamente importante” e que “foi, de facto, um disco considerado revolucionário no seu tempo”.

Entre as novidades está também a possibilidade de os artistas que participarão na rentrée do PCP convidarem outros artistas, que, de acordo com Madalena Santos, resultará em “duetos improváveis”.

Entre as duplas estão Tim, dos Xutos e Pontapés, com Teresa Salgueiro, antiga vocalista dos Madredeus, ou HMB com Lena D'Água.

O grupo inicial de 12 artistas convidou depois outros à sua escolha para atuarem no todo ou em parte da sua atuação.

Deste convite, resultou uma lista de 44 artistas para espetáculos em que se destacam a Brigada Victor Jara com Zeca Medeiros, Paulo de Carvalho com Mafalda Sacchetti e Marco Rodrigues, o DJ Prétu Xullaji com Scúru Fitchadú, Tristany e Cachupa Psicadélica e Paulo Flores, cantor angolano, com Yuri da Cunha e Prodígio.

Alguns dos duetos considerados improváveis pela organização juntam os HMD a Lena d’Água, Manel Cruz, dos Ornatos Violeta, à fadista Aldina Duarte e Tim com Teresa Salgueiro.

Na música clássica, a festa do Avante vai estrear uma nova versão clássica, de António Vitorino d'Almeida, para a "Carvalhesa", música-hino da festa dos comunistas e das campanhas do PCP. 

Originalmente, a "Carvalhesa" foi o hino da campanha para as legislativas de 1985, resultado de um trabalho de pesquisa em que foi escolhida uma música do "Cancioneiro Popular Português, de Michel Giacometti, que foi gravada pelo musicólogo na aldeia de Tuiselo, Vinhais, distrito de Bragança, recorda-se no jornal.

A música teve várias versões (pop, rock, jazz e clássica), tendo sido pedida mais uma, clássica, a António Vitorino d'Almeida, feita em 1991, que a batizou de "Abertura Clássica sobre um tema popular português, Op. 89", que agora é apresentada pela primeira vez, pela Orquestra Sinfonietta de Lisboa.

O programa da festa inclui ainda um concerto sinfónico, “A Revolução na Arte e a Arte na Revolução”, comemorativo dos 100 anos do partido, com temas ligados ao centenário da Comuna de Paris, de Hanns Eisler, Beethoven e Lopes Graça.

/ PP