Um dos membros do Grupo de Contacto do Livre, Pedro Mendonça, afirmou este domingo que as relações entre a deputada Joacine Katar Moreira e a direção do partido, só poderão ser retomadas se houver um “milagre”.

Se por algum ato milagroso houver uma mudança de atitude por parte da deputada Joacine Katar Moreira obviamente que trabalharemos” com a única representante do partido no parlamento, afirmou Pedro Mendonça, em declarações aos jornalistas no final do IX Congresso do Livre.

O membro do Grupo de Contacto (direção) eleito este domingo afirmou que a direção atual mantém a posição de apoio à resolução da 42ª Assembleia do Livre, que propôs a retirada de confiança política na deputada.

Pedro Mendonça acrescentou que, para além do Grupo de Contacto, a nova Assembleia (órgão máximo entre congressos) "também é de continuidade”.

Tudo faremos para que a situação seja resolvida o mais rapidamente possível, esta é uma situação insustentável”, afirmou.

Momentos antes, a deputada disse, em declarações aos jornalistas, que as partes envolvidas vão necessitar de conversar e encontrar-se “imensamente” e “regularmente”, bem como decidir “o que é preciso alterar, o que se pode melhorar".

Em resposta a estas declarações, Pedro Mendonça afirmou que as relações entre a deputada e o Grupo de Contacto continuam “cortadas” e acrescentou que Joacine Katar Moreira terá de entender que foi eleita por um partido e não sozinha.

Em política não há impossíveis e todas as pessoas têm de ter essa noção mas há responsabilidades e há saber o que se representa”, adiantou.

O Livre como partido já existia, com o seu programa político e carta de princípios, “que Joacine assinou”, lembrou.

Pedro Mendonça sublinhou que a direção responde à Assembleia e acrescentou: "Se foram levantadas dúvidas sobre os métodos utilizados para a decisão que os órgãos cessantes tomaram, retomaremos toda a situação”.

Para já, se Joacine Katar Moreira mantiver “o grau de lisura e um nível de conduta educacional que se exige em politica como na vida”, Pedro Mendonça admite ser possível retomar relações.

O congresso do Livre decidiu no sábado que caberá à Assembleia que foi eleita este domingo decidir sobre a eventual retirada da confiança política à única deputada do partido.

/ CE