O deputado do CDS-PP Pedro Mota Soares acusou esta quinta-feira BE, PCP e PEV de terem mudado de opinião sobre os salários dos reguladores e viabilizarem a proposta do PS de limitar esses vencimentos até 12 mil euros mensais.

Quero chamar a sua atenção para o conjunto de iniciativas de outros grupos políticos que propunham limites estritos aos reguladores, mas que amanhã [sexta-feira] vão mudar a sua opinião e vão viabilizar uma proposta que implica que os reguladores passem a ganhar até 12 mil euros por mês, 155 mil euros por ano", afirmou Mota Soares.

O deputado centrista e ex-ministro da Segurança Social argumentou que "os partidos mais à esquerda, o BE, o PEV, até mesmo o PCP tinham propostas que introduziam um limite muito mais apertado, mas vão viabilizar uma proposta do PS que permite que os reguladores ganhem 12 mil euros por mês".

Não sei se nesta altura o PS já pôs o socialismo na gaveta, mas lá que pôs o PCP, o BE e o PEV no bolso, lá isso pôs", declarou aos jornalistas no parlamento, defendendo a proposta do CDS-PP de limitar o salário dos reguladores ao vencimento do primeiro-ministro.

Para os centristas, o montante até 12 mil euros é "um pagamento excessivo".

/ AM