admitido esse cenário

"O corte das pensões em pagamento foi das medidas mais recessivas que a economia portuguesa viveu nos anos deste Governo. A insistência da maioria PSD/CDS nesta receita mostra a sua fidelidade ao modelo de ajustamento de Vítor Gaspar, mostra que o pós-troika (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional) não mudou a crença de uma austeridade a todo o custo e com alvos escolhidos"


rejeitar qualquer acordo







“O governo disse há um ano, disse há dois meses, e volta dizer agora, as reformas na área da segurança social têm de ser objeto de um consenso, pelo menos, entre os três partidos do arco da governabilidade, e quem procura um consenso não vai estar a criar modelos ou preferências, porque, evidentemente, isto tem de ser sujeito a uma negociação"


"questões sérias"