O procurador-geral da República não abandona o cargo, apesar da eleição de um Governo que manifestamente não tem confiança nele. A nova ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, chegou a acusar Pinto Monteiro de estancar processos.

Questionado telefonicamente esta manhã pela TVI, Pinto Monteiro garantiu que não se demite, nem põe o lugar à disposição do novo Governo. O procurador-geral não quis gravar qualquer declaração, mas aceitou a publicação de uma citação: «Nunca fiz comentários políticos sobre governos e não vou fazê-los agora».

Pinto monteiro, que foi escolhido por José Sócrates e nomeado por Cavaco Silva por indicação do Governo socialista, não merece a confiança do novo governo. O próprio Pedro Passos Coelho afirmou que o procurador se deveria demitir, ou ser demitido, depois de ter dito que tem os poderes da Rainha de Inglaterra. Na sequência de outra entrevista, a nova ministra da Justiça foi mais longe na crítica, acusando Pinto Monteiro de ser pernicioso à democracia.
Redação / Carlos Enes