Nuno Araújo, antigo chefe de gabinete de Pedro Nuno Santos, está a ser, esta terça-feira, alvo de buscas pelo Ministério Público e pela Polícia Judiciária.

Segundo um comunicado do Ministério Público, em causa estão suspeitas da prática dos crimes de tráfico de influências e/ou corrução.

No total, estão a decorrer dez buscas, "na sede de uma sociedade comercial, em Departamentos de Contratação Pública de diversos Municípios, numa empresa pública de gestão de águas e em habitações nas zonas de Penafiel e Guimarães".

Nas buscas estão inspetores da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária.

"No inquérito investigam-se factos relacionados com a celebração, por ajuste direto, de aquisição de serviços entre uma sociedade comercial e os referidos municípios e a empresa pública", diz o comunicado.

A sociedade em causa era, nessa altura, "gerida e controlada de facto pelo sócio-gerente anterior, o qual exercia então funções de chefe de gabinete ministerial", adianta, sem referir o nome.

“O mesmo usaria a sua influência decorrente do cargo para conseguir a celebração por ajuste direto, tirando benefícios monetários através de outra sociedade comercial, que igualmente controlava.”

Nuno Araújo era chefe de gabinete de Pedro Nuno Santos quando este era Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares. Atualmente, é presidente da Administração dos Portos do Douro e Leixões e Viana do Castelo.

Também em comunicado, o agora ministro das Infraestruturas e da Habitação garante ser "totalmente alheio" aos atos e aguarda "o desenrolar do processo judicial".