A Comissão Política do movimento independente Rui Moreira – Porto, O Nosso Partido anunciou esta sexta-feira que, “nas condições atuais, não aceita o apoio do PS” à recandidatura do autarca, disse à Lusa fonte daquela estrutura.

A Comissão Política não aceita condicionalismos, porque isso coloca em causa a independência da candidatura”, explicou à Lusa a mesma fonte da comissão política do movimento que apoia o atual presidente da Câmara do Porto, explicando que a decisão surge na sequência de declarações da secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

Na quarta-feira, a secretária-geral adjunta do PS afirmou em entrevista ao Observador, que uma vitória de Rui Moreira será “uma vitória do PS” e na quinta-feira, à Lusa, admitiu que as suas palavras podiam ser mal interpretadas, notando que, "evidentemente, a vitória de Rui Moreira será a vitória Rui Moreira”, mas “o PS não deixará de a festejar, uma vez que apoia a sua recandidatura”.

Contactada pela Lusa, fonte da Federação Distrital do PS/Porto remeteu para o início da tarde uma tomada de posição sobre a decisão do movimento independente de Rui Moreira.

De acordo com vários órgãos de comunicação social, as declarações de Ana Catarina Mendes levaram o núcleo duro de Rui Moreira a reunir à porta fechada, na quinta-feira à noite, tendo desse encontro saído a decisão de descartar o apoio do PS à recandidatura do independente.

Rui Moreira foi eleito presidente da Câmara do Porto em 2013, tendo elegido seis vereadores da lista independente com que se apresentou na corrida eleitoral em que contou com o apoio do CDS.

O autarca fez um acordo pós-eleitoral com o PS com vista a garantir a governabilidade da cidade, atribuindo pelouros a dois dos três vereadores socialistas eleitos para a Câmara do Porto: Manuel Pizarro, líder da Federação Distrital do PS, tem o pelouro da Habitação e Ação Social e Manuel Correia Fernandes tem a cargo o Urbanismo.

Na entrevista dada ao Observador na quarta-feira, Ana Catarina Mendes afirmou que, “no Porto, houve uma decisão da estrutura federativa e concelhia, que a direção nacional respeitou, de o PS apoiar o projeto de Rui Moreira”, o que “não significa que o PS não tenha a sua representatividade nestas listas”.

É evidente que, na noite eleitoral, todas as vitórias dos candidatos do PS e das listas que o PS integra serão vitórias do PS”, acrescentou.

Na entrevista publicada pela Lusa na quinta-feira, Ana Catarina Mendes é questionada sobre se o PS tenciona contabilizar para si os votos que a lista de Rui Moreira obtiver no Porto, respondendo que, se essa foi a interpretação retirada da entrevista concedida ao "Observador", então ter-se-á "exprimido mal".

Na noite eleitoral festejaremos as vitórias do PS. Evidentemente que a vitória no Porto do doutor Rui Moreira será a vitória do doutor Rui Moreira, mas não deixaremos de a festejar uma vez que apoiamos a sua recandidatura", justificou a secretária-geral adjunta à Lusa.

Numa entrevista ao jornal Público divulgada a 26 de abril, Moreira disse que pretendia convidar o socialista Manuel Pizarro para a sua lista.

Moreira recusou, na entrevista, que o convite fosse para número dois da lista.

Convidarei Manuel Pizarro e o lugar será decidido. Para já, não sei se ele quer ficar. Relativamente a essa matéria, faço o que fiz há quatro anos com o CDS. Creio que António Costa revelou não só inteligência como também um grande respeito pela cidade do Porto, dizendo que se é isto que os portuenses e o PS do Porto querem, então faça-se assim”, observou o autarca.

Naquela entrevista, o independente vincou ainda que pretendia apresentar, “lá para finais de junho”, uma “lista constituída por pessoas que, independentemente do espetro partidário, possam desempenhar as tarefas necessárias para o próximo mandato”.

No início de abril, numa entrevista ao Expresso, Ana Catarina Mendes afirmou que o partido terá “uma representação forte” nas listas de Rui Moreira.

Em declarações ao Público, Nuno Santos, adjunto do autarca, notou que “não vamos ter jobs for the boys na Câmara do Porto, e isto é tanto para o PS como para o CDS”.

A 05 de junho, na sessão de encerramento do 21.º Congresso Nacional do PS, o secretário-geral do partido, António Costa, manifestou apoio à possibilidade de os socialistas apoiarem a recandidatura do independente Rui Moreira à presidência da Câmara do Porto

Moreira reagiu “muito satisfeito” mas alertou que a sua candidatura “será sempre uma candidatura independente”.

/ EC