O Partido Popular Monárquico (PPM) opõe-se à proposta do PS sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo e também à possibilidade de adopção de crianças por casais homossexuais, já negada pelo socialista Augusto Santos Silva, noticia a Lusa.

«Não vamos perder tempo precioso a superar a recessão por culpa do PS», acrescenta o PPM, argumentando ainda que os direitos dos homossexuais já estão consagrados no artigo 13º da Constituição, apesar da Constituição continuar a «negar aos portugueses um direito fundamental: plena democracia».

O partido liderado por Nuno da Câmara Pereira acredita também que esta proposta do PS, que consta da moção de estratégia que José Sócrates vai levar ao congresso nacional do partido, conduzirá à adopção de crianças por casais do mesmo sexo, apesar de o dirigente socialista Augusto Santos Silva já ter garantido que tal não estaria em causa.

PPM recusa homofobia

Apesar de estar contra esta proposta, o PPM quer deixar bem claro que «não é um partido homofóbico».

O secretário-geral do PS, José Sócrates, afirmou domingo que chegou agora o momento de se fazer o debate e a discussão com a sociedade portuguesa sobre casamentos homossexuais.

Para o líder socialista, trata-se de «eliminar uma discriminação histórica, que não honra nenhuma sociedade aberta».
Redação / HB