Os candidatos a Presidente da República foram convidados pelo gabinete do primeiro-ministro para participar na reunião com epidemiologistas sobre a evolução da pandemia de covid-19, que decorre na terça-feira no Infarmed, e irão participar por videoconferência.

De acordo com fonte oficial do gabinete do primeiro-ministro, "todos os candidatos poderão participar na reunião" com as autoridades sanitárias e foram convidados.

A mesma fonte recorda que a primeira parte destas reuniões "tem sido aberta" até à fase das perguntas e "pode ser acompanhada através das redes sociais e da comunicação social".

As várias candidaturas disseram à Lusa que os candidatos foram convidados a participar na reunião através de videoconferência.

Numa nota divulgada este sábado, a candidatura de Ana Gomes dá conta que a militante socialista recebeu "um convite do senhor primeiro-ministro para assistir a essa reunião, e tenciona aceitá-lo".

Também Marisa Matias aceitou o convite para ouvir os dados mais recentes sobre a evolução da pandemia, indicou fonte oficial da sua candidatura.

A candidatura de João Ferreira confirmou que o dirigente comunista vai participar na reunião, "nos moldes em que foi convidado, que é por videoconferência".

O candidato apoiado pela Iniciativa Liberal, Tiago Mayan Gonçalves também transmitiu à Lusa que irá acompanhar a sessão.

Apenas a candidatura de Vitorino Silva diz não ter recebido o convite, mas a mandatária nacional indicou que, se a sua comparência for entretanto solicitada, terá "todo o gosto" em participar na reunião.

Tanto o Presidente da República e candidato, Marcelo Rebelo de Sousa, como o líder do Chega, André Ventura, também ele na corrida a Belém, já costumam participar nas sessões do Infarmed.

Esta reunião com epidemiologistas vai analisar a evolução da covid-19 e vai ajudar o Governo a decidir as novas medidas de combate à pandemia.

Na quinta-feira, no final da reunião do Conselho de Ministros em que anunciou o provável agravamento das restrições a partir da próxima semana devido à pandemia, o primeiro-ministro admitiu a possibilidade de convocar os candidatos presidenciais para estarem presentes na reunião com epidemiologistas.

Em Portugal, morreram 7.701 pessoas dos 476.187 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

/ CE