Ana Gomes recuperou o segundo lugar e André Ventura caiu. De acordo com a mais recente sondagem da Pitagórica para a TVI e o Observador, os dois adversários nunca estiveram tão distanciados um do outro (3,3 pontos percentuais).

A antiga eurodeputada recuperou terreno e subiu de 10,8% (registado na sondagem de 14 de janeiro) para 12,3% das intenções de voto. No sentido contrário está o líder do Chega que desceu de 11% para 9%. 

Outra das grandes novidades está em Tiago Mayan Gonçalves. O candidato liberal ultrapassou Marisa Matias e João Ferreira, estando agora 4,2%.

Marcelo Rebelo de Sousa continua a perder terreno, situando-se agora nos 65,4%. Ainda assim, seria eleito à primeira volta. Já Vitorino Silva, que tem estado sempre a subir, nesta última semana perdeu 0,3 pontos percentuais (pp).

Datas Ana Gomes André Ventura João Ferreira Marcelo Rebelo de Sousa Marisa Matias Tiago Mayan Vitorino Silva
18 de dezembro 11% 9% 3,5% 68,9% 6,5% 0,9% -
27 de dezembro 10,9% 10,7% 3,5% 68% 5,1% 1% 0,8%
3 de janeiro  13% 10,6% 2,8% 66,5% 4,5% 1,7% 0,8%
7 de janeiro 11,4% 11,4% 2,6% 67,5% 4,3% 2,1% 0,4%
14 de janeiro 10,8% 11% 3,2% 66,7% 4% 2,3% 2,1%
22 de janeiro 12,3% 9% 3,9% 65,4% 3,5% 4,2% 1,8%

Potencial impacto da abstenção nestes resultados

Como tem sido abordado por todos os candidatos presidenciais, a abstenção é a grande incógnita destas eleições. Para além de quem ocupará o segundo lugar.

Com base nos valores anteriores - do voto com distribuição de indecisos - a TVI analisou o impacto da abstenção nas intenções de voto de cada candidato e concluiu que quatro deles teriam uma variação positiva. 

Ana Gomes e André Ventura seriam os mais beneficiados, com um crescimento de 1,3 e 1,5 pp, respetivamente, seguidos de Tiago Mayan e Marisa Matias com 0,6 e 0,3%. 

No sentido oposto, Marcelo Rebelo de Sousa seria o mais prejudicado, ao descer 3,1 pp, com João Ferreira e Vitorino Silva também a perder terreno. 

Contas feitas, Marcelo continuaria a ser eleito à primeira volta com 62,3%, Ana Gomes manteria o segundo lugar mas com um valor mais reforçado (13,6%), Ventura ficaria em terceiro com 10,5% e Mayan continuaria à frente da esquerda com quase 5%.

Isto significa que os quatro primeiros lugares não sofreriam qualquer alteração, apesar de tecnicamente André Ventura e Ana Gomes estarem em empate técnico. Ainda assim, como foi referido inicialmente, a distância entre ambos confere alguma segurança a esta previsão.

É registado também um empate técnico entre Marisa Matias, João Ferreira e Tiago Mayan, sendo que a ordenação entre eles pode sofrer ligeiras alterações dependendo da participação eleitoral.

De acordo com os dados da sondagem, o mais prejudicado seria João Ferreira, o que pode ser explicado pela idade dos seus potenciais eleitores estar mais vulnerável ao fenómeno da pandemia (nos potenciais abstencionistas 38,6% possuem 55 ou mais anos de idade).

Ficha técnica

A sondagem foi feita pela Pitagórica para a TVI e jornal Observador entre entre os 18 e 21 de Janeiro 2021. Com 604 entrevistas telefónicas, com um grau de confiança de 95,5%, para uma margem de erro máxima de 4,07%.

A Ficha técnica completa desta sondagem, bem como todos os resultados, foram disponibilizados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social, que os disponibilizará oportunamente para consulta online.

Cláudia Évora