Desta vez, os ataques de André Ventura aos seus opositores não passaram "impunes". Durante o comício em Portalegre, André Ventura voltou a recorrer aos insultos pessoais para alguns dos seus concorrentes ao Palácio de Belém, como a socialista Ana Gomes, a bloquista Marisa Matias, o comunista João Ferreira ou o atual chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa.

Marisa Matias foi analisada pelo presidente do Chega como estando a ter "uma performance muito abaixo do que seria expectável, com ar de que todos lhe devem dinheiro e ninguém lhe pagou". Além disso, Ventura frisou ainda "os lábios muito vermelhos" de Marisa, dizendo que a bloquista "não está muito bem em termos de imagem, de performance" e que pinta os lábios "como se fosse uma coisa de brincar".

Ora, a candidata respondeu aos insultos no Twitter, publicando uma fotografia de lábios pintados com a #VermelhoemBelém.

A hashtag em questão rapidamente se tornou um dos assuntos do momento na rede social, com várias figuras da política a demonstrarem o seu apoio a Marisa.

Joana Mortágua, Moisés Ferreira e Fabian Figueiredo fazem parte dos muitos membros do Bloco de Esquerda que aderiram ao movimento.

Também Ana Gomes prometeu alinhar na onda de apoio à concorrente às Presidenciais e cumpriu. A candidata já tinha afirmado esta quinta-feira que os insultos de André Ventura aos seus adversários são “uma demonstração de que a ultradireita não é só mais uma corrente de opinião, como pretende o Presidente da República”.

Questionada sobre a razão de se ter associado ao movimento, Ana Gomes disse que "É intolerável os ataques que são feitos a outros candidatos na base de preconceitos machistas e outros" e que não alinha com eles e está "com todas as mulheres e homens progressistas deste país que ousam afirmar que o vermelho em Belém faz a diferença”.

Helena Ferro Gouveia, uma das especialistas da noite da TVI24, também surgiu de batom vermelho. A especialista considerou o movimento como "uma das melhores coisas das redes sociais nos últimos tempos" e que "independente de sermos de direita ou de esquerda ou da candidatura presidencial que apoiamos, ninguém tem o direito de dizer a mulher como se vestir, como pintar os lábios".

"Não,uma mulher não é uma coisa de brincar e todos os homens decentes o sabem.Importa ir votar, não alimentar a abstenção e tirar o tapete ao discurso misógino. Nos meus lábios mando eu !", escreveu ainda a especialista.

Fique a par de tudo o que acontece sobre as Eleições Presidenciais de 2021 com a TVI24.

Pode também acompanhar a campanha eleitoral dos candidatos ao minuto, aqui.

Rafaela Laja