“Mas o que eu tenho dúvidas é de que não seja eu a chegar à segunda volta. E, portanto, a minha resposta é condicionada por isso”, acrescentou logo de seguida.






“Acho que é normal que [o PS] não apoie. Nós não podemos fazer política no séc. XXI como fazíamos no séc. XX. É bom que as pessoas sintam que as pessoas são donas das suas escolhas”, sublinhou, acrescentando: “Se quer que lhe diga a verdade, considero que esta é a melhor posição.”