"Não vejo com maus olhos a existência de vários candidatos no espaço político da esquerda, têm projetos diferentes e é legítimo que se queiram apresentar. Mas espero também que percebam a necessidade de uma convergência, porque o pior que nos podia acontecer é as pessoas votarem no candidato da continuidade."






"O que marcou Portugal nos últimos 50 anos foi uma ideia de progresso e evolução, que podíamos ter uma vida melhor que os nossos pais e, de repente, parece que estamos perante um retrocesso. A razão principal que me trouxe a este combate foi querer deixar um país melhor para as gerações seguintes."