"É preciso também saber os seus propósitos, de todos e de cada um deles, e isso não tem sido fácil, vamos ver. Mas agora também vem o Natal? Não vai ser fácil", lamentou.


"Não se deve eleger as pessoas só por simpatia, nem para esse cargo, nem para nenhum. É preciso saber o que pensam e o que se pode passar no futuro e sabe-se pouco, ainda", concluiu.