A secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, afirmou esta quarta-feira que Portugal tem de estar disponível para receber ainda mais refugiados e que o deve fazer ainda melhor do que no passado.

Num evento organizado pela Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR), Cláudia Pereira quis destacar os “desafios” que decorrem dos mais recentes dados divulgados pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), os quais indicam que em 2020 o número de refugiados e deslocados internos bateu um novo recorde e se situa agora nos 82,4 milhões de pessoas.

Estamos num continente que recebe 15% dos refugiados e, por isso, temos de estar disponíveis para receber ainda mais e melhor”, frisou.

O evento, denominado “Juntos Acolhemos”, ocorreu na Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa e assinalou o Dia Mundial do Refugiado, que se celebrou no passado dia 20 de junho.

A secretária de Estado chamou a atenção para os dados do ACNUR que apontam que 42% de todas as pessoas deslocadas no mundo têm menos de 18 anos de idade, bem como para as estimativas que indicam que quase um milhão de crianças nasceram como refugiados entre 2018 e 2020.

“Cabe ao governo criar estruturas que tornem o processo de acolhimento e integração mais fluído”, defendeu Cláudia Pereira, acrescentando que os municípios, as universidades e demais sociedade civil têm o seu papel a desempenhar no acolhimento e integração de refugiados, bem como no cumprimento de “metas mais ambiciosas”.

/ RL