«Maioria parlamentar». Esta é a expressão adoptada por José Sócrates tendo em vista as próximas eleições legislativas. Admitindo um «certo desgaste» do Governo, o primeiro-ministro pensa agora numa situação que lhe dê garantias de se manter no poder.

Vitorino vai «coordenar» legislativas

Na sua opinião, o próximo acto eleitoral vai servir para os portugueses decidirem «que primeiro-ministro querem», segundo manifestou à entrada da reunião da comissão política do PS.

«O PS fez bem em assumir com humildade os resultados decepcionantes e a derrota eleitoral» nas europeias de 7 de Junho, resultantes de «um certo desgaste do Governo em resultado de uma governação muito exigente e muito difícil com reformas muito ásperas e que foram feitas ao serviço do país».

A culpa pode ser mesmo das reformas, que «podem ter causado um desgaste, muito visível nos resultados eleitorais». Ainda assim, será importante «explicar as reformas» em vários sectores, como na educação, na energia e na ciência e na segurança social.

Questionado sobre se continuará a pedir uma maioria absoluta, José Sócrates surpreendeu: «O PS empenhar-se-á para uma solução de maioria parlamentar que dê ao Partido Socialista condições para governar.

Já no final da reunião socialista, que durou quatro horas, Sócrates afirmou que «o PS está unido e animado» para as próximas eleições legislativas.

Questionado pelos jornalistas sobre o real significado de «maioria parlamentar», o líder rosa respondeu: «Uma maioria parlamentar é uma maioria absoluta, que eu saiba, a não ser que haja outra maioria parlamentar que permita governar sozinho».

Artigo actualizado às 07h59
Redação / FC