Num almoço com mais de mil apoiantes, José Sócrates sublinhou que «nenhuma sondagem ganha eleições», abordando, assim, com prudência, os estudos de opinião que colocam o PS a uma margem confortável de vantagem sobre o PSD. Já o presidente socialista, Almeida Santos, mostrou a máxima confiança, durante um almoço em Paços de Ferreira, dizendo que a vitória é «certa» e «muito significativa».

Ao lado do secular mosteiro de Ferreira, no interior de uma tenda aberta, José Sócrates fez um apelo ao voto. «Há para aí muitas sondagens, mas quero dizer-vos o seguinte. Nenhuma sondagem ganha eleições. O que ganha as eleições é o voto dos portugueses», afirmou, para depois continuar sem pisar em triunfalismos.

«Em democracia ninguém tem a certeza da vitória, porque é mesmo assim em democracia, e, este partido, não tem a certeza da vitória», frisou, para depois apelar a uma concentração dos votos no PS, com uma justificação: «Há uma certeza que temos, não a certeza da vitória, mas a certeza de merecer essa vitória».

Já Almeida Santos - que descreveu José Sócrates como «o melhor primeiro-ministro» depois do 25 de Abril e ouviu da boca do secretário-geral descrevê-lo com «um príncipe da democracia» - defendeu que a vitória é certa.

«Aproximamo-nos de novo de uma vitória que já não é muito discutível e que para mim tenho já por certa e muito significativa», disse Almeida Santos, com convites para a festa: «Até domingo, caros amigos. Lá estaremos para receber a vossa alegria, se alguém quiser juntar-se à nossa».

Vídeos e fotos de campanha

Hugo Beleza