O PSD defendeu, nesta quarta-feira, a testagem, identificação e isolamento, em 24 horas, de todos os casos suspeitos de covid-19, defendendo que a medida é um elemento crítico para o controlo da pandemia em Portugal.

Numa altura em que o país se depara com um crescimento do número de infetados, o vice-coordenador do Conselho Estratégico Nacional (CEN) do PSD para a Saúde, Ricardo Baptista Leite, apresentou um conjunto de sugestões assentes em sete eixos de intervenção.

É nossa convicção assente que Portugal não está a fazer o suficiente", defendeu, sublinhando que as sugestões feitas pelo CEN baseiam-se na informação que é pública e "partem do pressuposto que o Governo está a fazer tudo para controlar a onda que está em crescendo".

Acompanhado pelo coordenador do CEN para a Saúde, António Araújo, o social-democrata destacou, do conjunto de propostas, o eixo da emergência e o eixo da visão a longo e médio prazo.

Na visão da emergência que é a resposta imediata, ultrapassada a discussão do que nós temos termos de reduzir o número de novos casos, há aqui uma necessidade de garantir, no que diz respeito à covid-19, testagem, identificação e isolamento de todos os infetados e de todos os suspeitos, é um elemento crítico sem o qual não há controlo da pandemia", disse, defendendo uma janela de 24 horas.

"Falhar nisto é falhar no combate à pandemia", acrescentou.

O CEN defende ainda a criação de centros de testagem em modelo drive-through em todo o território nacional de modo a aumentar a capacidade de testagem diária, excluindo a exigência de uma prescrição médica para a realização do exame e o recurso a estudantes na área da Saúde e até à utilização de call centers.

Considera-se ainda fundamental a mapeamento de todos os lares legais, ou ilegais, ao qual deve estar associado um plano de intervenção que garanta a qualidade dos cuidados, e a existência de protocolos de evacuação destas estruturas com circuitos bem definidos.

O PSD defende ainda que do ponto de vista legal, o isolamento dos suspeitos deve ser equiparado ao isolamento dos casos positivos, garantindo o pagamento atempado dos subsídios respetivos.

Ricardo Batista Leite defendeu ainda que sejam as Forças Armadas a estar no comando das operações à pandemia, "em articulação com a DGS e com a Proteção Civil".

No eixo 2, os sociais-democratas instam o Governo a melhorar a comunicação das autoridades com a população, assegurando ainda que a informação é disseminada nomeadamente à comunidade científica.

No eixo 4 - 'Prevenir o esgotamento da capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde' - , o CEN defende a criação de um programa de recuperação de consultas, cirurgias e exames complementares em atraso, esgotando a totalidade da capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde, em parceria formal com as instituições de todo o sistema nacional de saúde.

Baptista Leite considera ser fundamental garantir uma recuperação das listas de espera para consultas, cirurgias e exames adiadas neste contexto de pandemia, utilizando o sistema de saúde como um todo, público, privado e social, para assegurar que todos os doentes não covid-19 tem acesso aos cuidados de saúde.

Neste contexto, o PSD entende que deve haver um plano de identificação "acelerada" de todas as unidades de saúde de respostas de cuidados intensivos que tenham resposta ventilatórias, incluindo hospitais privados), diálise e pontos de oxigénio, defendendo que todas estas respostas devem ser libertadas, na medida do possível para receber os doentes, sem comprometer a resposta dos doentes não-covid.

Ricardo Baptista Leite lembrou que, nos últimos meses, houve um aumento da morbilidade e da mortalidade no país, que é preciso travar e que é explicado também pela dificuldade no acesso aos cuidados de saúde.

Os sociais-democratas defendem ainda a criação de um sistema nacional que permitia a gestão das camas na rede, que permita conhecer em tempo real a situação nas enfermarias e unidades de cuidados intensivos.

Ricardo Baptista Leite destacou ainda a necessidade de libertar os médicos de família do acompanhamento telefónico dos doentes covid-19 e da urgente resolução do problema ao nível do atendimento telefónico nos centros de saúde.

O PSD considera ainda que para além da vacina, Portugal deve estar na primeira linha de acompanhamento de todas as novas opções terapêuticas em fase de desenvolvimento para tratamento e eventual cura da infeção por SARS-CoV-2, posicionando o país como potencial ?hub' para a realização de ensaios clínicos de fase 2 e 3.

/ CM