O presidente indigitado do próximo Governo dos Açores, o social-democrata José Manuel Bolieiro, afirmou, nesta quarta-feira, que "não será necessário chegar ao final do mês" para ser revelado o novo executivo, de coligação entre PSD, CDS e PPM.

Bolieiro, presidente do PSD/Açores, falava hoje aos jornalistas após ter sido recebido, em Ponta Delgada, pelo ainda presidente do Governo Regional, o socialista Vasco Cordeiro.

Declarando ter uma "atitude pessoal e um comportamento institucional" que não passa pelo "ouvir dizer", o social-democrata escusou-se a adiantar se o futuro executivo será maior ou menor que o atual, garantindo somente uma "solução governativa suficiente e competente".

O representante da República no arquipélago, Pedro Catarino, indigitou no sábado o líder do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, presidente do Governo Regional, na sequência das eleições de 25 de outubro, justificando a decisão com o facto de a coligação PSD/CDS-PP/PPM (26 deputados) ter o apoio parlamentar do Chega (dois deputados) e do Iniciativa Liberal (um deputado), garantindo assim maioria absoluta no hemiciclo regional, com 29 dos 57 lugares.

No entanto, o PS venceu as eleições legislativas regionais, no dia 25 de outubro, mas perdeu a maioria absoluta, que detinha há 20 anos, elegendo 25 deputados.

A instalação da Assembleia Legislativa está marcada para 16 de novembro.

Depois da tomada de posse, que deverá acontecer até final de novembro, o programa do executivo terá de ser entregue na Assembleia Legislativa em 10 dias.

/ CM