Rui Rio afirmou este domingo que tem boas expectativas para as eleições autárquicas, ainda que tema uma abstenção elevada, um ato que diz não entender e ser antidemocrático.

Aos jornalistas, o presidente do PSD sublinhou que não lhe compete fazer uma "análise à questão das eleições", porque "diante de uma mesa de voto não se faz propaganda". No entanto, adiantou que o seu partido tem perto de 64.500 pessoas a candidatar-se em listas. 

"São eleições em que o povo vota no povo. Não é o povo a votar em políticos. Espero que a participação eleitoral seja grande. As eleições autárquicas são algo fantástico em termos da participação de pessoas nas suas terras”, considerou.

Sobre a abstenção, Rio diz que "tem sido sempre alta", ainda que menor nas autárquicas, e explicou que não entende a abstenção, já que os cidadãos podem ir às mesas de voto e votar em branco.

"Nunca compreendi a abstenção. Uma pessoa abster-se é dizer que sou contra a democracia e contra as eleições. Acho que é um dever cívico das pessoas irem votar. No caso concreto destas eleições, são milhares e milhares de portugueses. Não é uma eleição em que se vota naquele político".

Sobre a importância deste dia para o PSD, Rui Rio prefere responder a essa pergunta logo à noite. Questionado ainda se a sua atividade política está em jogo, o presidente do PSD não responde, sustentando que este é um dia importante para todos os portugueses. 

Horas mais tarde, no Twitter, Rui Rio escreveu ironicamente que "as eleições autárquicas contam pouco" e apontou que "o que vais ser mesmo importante vão ser os resultados das sondagens 'se, porventura, tivessem sido eleições legislativas' e, acima de tudo, as conclusões que os comentadores (independentes) vão sentenciar sobre a matéria.