O PSD deverá aprovar, esta terça-feira, na Assembleia Municipal de Lisboa uma moção de «censura» pelo que classifica de «incapacidade» do presidente da Câmara, António Costa (PS), em definir uma estratégia municipal de segurança, informou a Agência Lusa.

Na moção, que o PSD, em maioria na Assembleia, deverá fazer aprovar, os deputados municipais manifestam «profunda preocupação e censura pela incapacidade da Câmara Municipal de Lisboa, e do doutor António Costa, em definirem uma estratégia municipal na área da segurança na cidade».

O documento, subscrito pelo líder da bancada, Saldanha Serra, exige que António Costa apresente na sessão seguinte da Assembleia Municipal um «plano municipal de segurança».

«É hoje claro que o doutor António Costa não tem qualquer Plano Municipal de Segurança para Lisboa, tendo falado a posteriori e vagamente num Contrato Local de Segurança a celebrar com o Governo, cujo conteúdo em absoluto se desconhece, em especial as especificidades da sua aplicação a Lisboa», argumentam os deputados municipais do PSD.

Na moção, o PSD acusa o presidente da Câmara de ter iniciado um «processo de vitimização e de ataque ao Governo» depois de pressionado «pela realidade concreta da insegurança, motivada pelos acontecimentos nas Olaias», a que se seguiu uma «cena de reconciliação com o Governo».

«Estamos, uma vez mais, perante um novo "show-off" mediático do doutor António Costa, que serve de cortina de fumo para a sua incapacidade de lidar, real e concretamente, com os problemas de segurança em Lisboa», lê-se na moção.

O grupo municipal do PCP apresenta igualmente uma moção sobre segurança, condenando as «omissões cúmplices da Câmara Municipal de Lisboa, em face das opções do Ministério da Administração Interna, que comprometem uma acção mais eficaz das forças de segurança na cidade de Lisboa, nomeadamente o policiamento de proximidade».

Os comunistas reclamam do Governo «uma política de passos concretos no sentido da abertura de esquadras de bairros em zonas residenciais».

Da autarquia, os deputados municipais comunistas exigem a adopção de medidas para «reforçar a capacidade de intervenção e o prestígio da Polícia Municipal».

Na moção, o PCP reclama ainda uma política de intervenção social e urbanística nos bairros municipais, que passe pela instalação de equipamentos, apoio ao associativismo, melhoria das condições de higiene urbana, iluminação pública e espaços públicos.

Os deputados municipais comunistas querem que o conselho municipal de segurança elabore um «programa» de segurança, com diligencias a propor ao Governo.
Redação / TG