Depois de se ter reunido com o Presidente da República, o antigo líder parlamentar do PSD Luís Montenegro acusou o presidente Rui Rio de ter tido “medo” de convocar diretas no partido, mas mantém a sua disponibilidade de ser candidato, se algum órgão as convocar.

Lamento que o doutor Rui Rio não tenha tido coragem de marcar diretas no PSD. Lamento que o doutor Rui Rio tenha tido medo de ouvir a voz dos militantes”.

No final da audiência de cerca de 35 minutos com Marcelo Rebelo de Sousa, Montenegro foi ainda questionado sobre o Conselho Nacional extraordinário, marcado para quinta-feira, que irá votar a moção de confiança à direção apresentada por Rio.

O ex-líder parlamentar do PSD fez questão de dizer que essa reunião não “é a sua praia” nesta discussão, uma vez que se propôs a ir a votos em diretas.

Se algum órgão vier a decidir a realização de eleições diretas no PSD, eu sou candidato, obviamente”.

Também hoje o presidente Rui Rio avisou que não vai "andar a animar a comunicação social" sobre questões internas do partido. 

Recorde-se que, na última sexta-feira, o líder social-democrata foi desafiado pelo ex-líder parlamentar Luís Montenegro para convocar eleições diretas antecipadas, mas rejeitou antecipando-se: anunciou que iria submeter direção a um voto de confiança do Conselho Nacional, que vai então realizar-se daqui a três dias.

"A minha resposta é não". Foi com estas palavras que o presidente social-democrata reagiu ao desafio de Luís Montenegro para convocar eleições diretas no PSD

O líder do PSD frisou nesse dia que Montenegro podia ter-se candidatado às eleições internas, em 2018, mas que não o fez por razões "puramente táticas". E, por isso, o presidente social-democrata fechou a porta à convocação de novas eleições. 

Depois de, na sexta-feira, o Presidente da República, ter-se reunido com Rio, no Porto, Marcelo Rebelo de Sousa vai hoje receber Luís Montenegro. Tem dito que "a vida do PSD é com o PSD"