O presidente do PSD classificou como “um escândalo” a fuga do ex-banqueiro João Rendeiro, que acusou de sujeitar o sistema judicial a “um vexame”, lamentando que o Governo “não queira mudar nada" na Justiça.

Não podemos naturalmente responsabilizar o Governo por essa fuga, que é da inteira responsabilidade do sistema judicial. Deve ser esmiuçado, para perceber porque é que o sistema judicial sujeita Portugal a um vexame desta natureza, senão estamos a correr o risco de outros casos análogos acontecerem”, alertou Rui Rio, em declarações aos jornalistas no parlamento, no final da reunião da bancada do PSD.

No entanto, o presidente do PSD considerou que, “não sendo diretamente responsável por este caso”, o executivo tem a sua quota-parte de responsabilidade por não querer fazer ou sequer conversar sobre qualquer reforma da Justiça, que os sociais-democratas já propuseram.

É preciso muito descaramento para dizer que nós não temos propostas, quando foi entregue em mão um livrinho de propostas para a reforma de justiça por mim aos diversos líderes parlamentares da anterior legislatura”, afirmou.

Para Rio, “ideias não faltam”, apenas vontade de as concretizar.

Quando nós temos um Governo, um Ministério da Justiça e um primeiro-ministro que não quer mudar, a seguir tem de ser responsabilizado por tudo o que de mal ocorre. A justiça assim não pode continuar”, defendeu.

O ex-presidente do Banco Privado Português (BPP) João Rendeiro, condenado na terça-feira a prisão efetiva num processo por crimes de burla qualificada, diz que não pretende regressar a Portugal por se sentir injustiçado e vai recorrer a instâncias internacionais.

 

Agência Lusa / HCL