O presidente do PSD, Rui Rio, afirmou esta terça-feira que o ainda líder parlamentar, Hugo Soares, não foi convocado para a reunião da Comissão Política Nacional por estar “demissionário” e “em gestão”.

O dr. Hugo Soares está demissionário, está em gestão, a Comissão Política Nacional (CPN) não está a tratar de assuntos de gestão corrente, está a tratar de assuntos estratégicos”, respondeu Rui Rio, quando questionado sobre a estranheza manifestada pelo líder parlamentar por não ser sido convocado para esta reunião.

No final da primeira reunião da Comissão Política Nacional, eleita no domingo no 37.º Congresso do partido, Rio foi questionado pelos jornalistas como respondia à acusação de desrespeito de Hugo Soares e se não considerava que tinham sido violados os estatutos do partido.

Já respondi, não vou alimentar esta polémica”, disse Rio.

Uma hora antes do início da reunião da CPN, o líder cessante da bancada do PSD defendeu que seria "um desrespeito institucional grave para com o grupo parlamentar", se não fosse convocado para uma reunião da Comissão Política do partido na qual tem lugar por inerência.

A acontecer, creio que não será verdade, mas a acontecer, creio que se trata de um desrespeito institucional grave para com o grupo parlamentar, mas creio que não deve haver nenhuma reunião porque eu não fui convocado", afirmou Hugo Soares.

De acordo com os estatutos do partido, além do presidente, dos vice-presidentes, do secretário-geral e dos vogais têm também assento na Comissão Política o presidente do grupo parlamentar - Hugo Soares, até às eleições de quinta-feira - , os presidentes das Comissões Políticas Regionais dos Açores e da Madeira ou um representante de cada uma delas, o presidente e outro dirigente nacional da Juventude Social-Democrata, o secretário-geral dos Trabalhadores Sociais-Democratas e o presidente dos Autarcas Sociais-Democratas.

A Lusa constatou que quer o presidente da JSD, Simão Ribeiro, quer o secretário-geral dos TSD, Pedro Roque, quer o presidente dos ASD, Álvaro Amaro, estiveram presentes na reunião desta terça-feira.

Coordenadores

O presidente do PSD, Rui Rio, anunciou ainda que a Comissão Política Nacional escolheu como coordenadores para o diálogo com o Governo Álvaro Amaro, na descentralização, e Manuel Castro Almeida, no próximo quadro comunitário.

Álvaro Amaro é o presidente dos Autarcas Sociais-Democratas e terá, devido a este papel de coordenação, assento na Comissão Permanente do partido, o órgão mais restrito da direção.

Manuel Castro Almeida é vice-presidente do PSD e foi secretário de Estado do Desenvolvimento Regional do governo PSD/CDS-PP liderado por Pedro Passos Coelho.

Questionado se mantém a apreciação crítica em relação aos diplomas do Governo sobre descentralização que fez durante a campanha, Rio rejeitou essa interpretação.

Eu não fiz uma apreciação crítica das propostas do Governo, o que disse é que gostaria que fosse feito mais (…) O que está ali feito é essencialmente municipalização, é passar para a esfera das autarquias locais algumas competências, com algumas poderei discordar e com muitas poderei concordar”, disse.

Rio informou ainda que foram nomeados como secretários-gerais adjuntos do PSD Hugo Carneiro, que foi seu mandatário financeiro na campanha interna, e o deputado Bruno Coimbra.

Foi também aprovada uma comissão – na sequência da decisão do Congresso - que, num máximo de 90 dias, vai conjugar as diversas propostas de alteração estatutária e levá-las ao Conselho Nacional”, informou Rui Rio.

Esta comissão será constituída pelo presidente da Mesa do Congresso, Paulo Mota Pinto, pelo presidente do Conselho Nacional de Jurisdição, Nunes Liberato, pelo secretário-geral, Feliciano Barreiras Duarte, pelo vogal da Comissão política Maló de Abreu e pelos quatro subscritores das propostas estatutárias.

Para diretor do Povo Livre, foi nomeado o histórico militante e candidato derrotado nas últimas autárquicas a Vila Nova de Gaia, José Cancela Moura.

/ Atualizada às 20:32