Depois de Luís Filipe Menezes ter ameaçado romper o acordo com o PS sobre a lei eleitoral autárquica, Santana Lopes, afirmou ao jornal Público estar «surpreendido» com estas declarações do presidente do PSD, proferidas no domingo, uma vez que a lei já foi aprovada na generalidade e o acordo com os socialistas foi negociado pelo próprio líder da bancada parlamentar.

As declarações de Santana Lopes, ao Público, mostram o desconforto sentido no PSD: o presidente da bancada laranja admitiu ter sido apanhado de «surpresa» e sublinhou que não fará mais comentários até ter a possibilidade de reunir-se com Luís Filipe Menezes.

«A minha obrigação é encontrar uma solução para garantir uma reforma assumida há anos e que continuo a considerar importante». «Se a reforma da lei autárquica for por água abaixo, perdem-se alterações importantes, nomeadamente o facto de o presidente da câmara poder escolher os seus vereadores», disse ainda Santana Lopes ao jornal Público.

Esta terça-feira, no Parlamento, o líder da bancada afirmou à agência Lusa que ainda não tinha falado com ninguém da direcção do partido sobre o desfecho do acordo com o PS. «Ainda não falei com ninguém», acrescentou Santana Lopes, negando «divergências seja com quem for» sobre a posição final do partido. Numa declaração à agência Lusa, o deputado sublinhou que o desfecho do processo negocial está por discutir internamente: «A direcção do partido vai reunir e apreciar a matéria».

Certo é que no domingo o presidente do PSD prometeu quebrar o acordo com o PS se o projecto de lei conjunto não for alterado para que os presidentes da junta possa votar os planos e orçamentos municipais.
Portugal Diário