O candidato do PSD à câmara do Seixal, Bruno Vasconcelos, vai apresentar queixa-crime contra o deputado do PS José Magalhães e contra o vereador comunista de Odivelas Rui Francisco. Em causa estão os comentários feitos pelos dois no Facebook, após uma publicação proposta dos sociais-democratas do Seixal de alterar os nomes de várias ruas do concelho, como a “Rua General Humberto Delgado” e “Rua Movimento das Forças Armadas”.

Em resposta, o deputado socialista recomendou “umas cacetadas terapêuticas” para solucionar o problema, ao passo que o vereador comunista confessou “acreditar seriamente que devíamos ir atrás destes pulhas e dar-lhes no focinho”, sublinhando estar “pronto” para “partir-lhes a tromba” por não se saberem “comportar em democracia”.

Num vídeo publicado nas redes sociais do PSD do Seixal, durante a noite de domingo para segunda-feira, foi feita a “mudança do nome de cinco ruas que têm o nome repetido” no município, “tapando as antigas e colocando novas placas toponímicas”, com uma folha com a nova inscrição.

No vídeo também divulgado pela concelhia na sua página, o cabeça de lista do partido no Seixal, Bruno Vasconcelos, ‘descerra’ uma bandeira de Portugal, deixando à vista uma folha com a inscrição “Rua em Memória das Vítimas FP 25 de Abril”, que cobre a placa toponímica oficial da atual Rua Movimento das Forças Armadas.

Foram ‘alterados’ ainda os nomes das ruas 1.º de Maio (para Rua 25 de Novembro), General Humberto Delgado (para Rua Major-General Jaime Neves), Luis de Camões (para Rua Manuel Maria Barbosa du Bocage) e Júlio Diniz (para Rua Pedro Eanes Lobato).

Numa publicação que dava conta de um excerto do comentário, o deputado socialista José Magalhães questionou no Facebook se “uns cacetes terapêuticos não resolveriam o problema?”, levanto o PSD do Seixal a emitir um comunicado onde pede a demissão do socialista, acrescentando ainda que Bruno Vasconcelos, cabeça de lista social-democrata no concelho, vai pedir “proteção policial” e apresentar queixa-crime por considerar que os comentários se trataram de “ameaças”.

Outros dos alvos das queixas do PSD do Seixal é o vereador comunista Rui Francisco que disse “acreditar seriamente que devíamos ir atrás destes pulhas e dar-lhes no focinho”, sublinhando estar “pronto” para “partir-lhes a tromba” por não se saber “comportar em democracia”.

A concelhia social-democrata apela à CDU para retirar a confiança política do candidato, “retratando-se e afastando-se prontamente destas atitudes antidemocráticas”, e exorta o PS a fazer o mesmo em relação a José Magalhães.

Contactado pela Lusa, José Magalhães afirmou, numa resposta escrita, que “a terapia do cacete deve ser preventiva”.

Se os desordeiros, ao chegarem ao lugar onde querem violar a lei, encontrarem a autoridade pública de olhos abertos e cacete à cintura, atrevem-se? Quem diz cacete diz algemas. Quanto às queixinhas, sejam homenzinhos e tenham modos!”, escreveu o deputado, acrescentando que “putos medricas dão pena”.

João Guerreiro Rodrigues / com Lusa