Pouco passava das 11h00 quando as sirenes da polícia anunciaram a chegada de toda a comitiva da Jordânia. À frente, o rei Abdullah II e a rainha Rania foram de imediato recebidos pelo Presidente da República e por Maria Cavaco Silva.

VEJA AS FOTOS

Depois das honras militares e das fotografias da praxe, os quatro tiveram uma pequena conversa informal à qual se seguiu uma reunião entre Cavaco e Abdullah II. Entretanto, Rania e Maria Cavaco Silva seguiram para o Museu Nacional dos Coches.

«Esta visita contribui para um salto qualitativo significativo nas relações entre os dois países. Verificámos que as autoridades jordanas estão empenhadas em fortalecer estas relações», disse o chefe de Estado aos jornalistas.

Considerando a Jordânia «um país com papel central no Médio Oriente», «um exemplo de tolerância, estabilidade e segurança», Cavaco garantiu que «os portugueses têm muito interesse em ouvir as palavras do rei».

Saiba mais sobre o programa da visita

Por sua vez, Abdullah II reforçou a importância do aumento das relações bilaterais entre os dois Estados: «Viemos com uma forte delegação empresarial para fortalecer os laços com Portugal. Estamos muito entusiasmados com uma cooperação futura.»

Tal com em Fevereiro de 2008, quando Cavaco Silva se tornou o primeiro Presidente da República a visitar a Jordânia, durante esta segunda e terça-feira serão assinados vários acordos em áreas como a educação, ciência e economia.

Para «aumentar os fluxos comerciais e de conhecimento» entre os dois países, é necessário «encontrar novas formas de negócio», de acordo com Cavaco Silva, que aconselhou os empresários portugueses a interessarem-se «tanto pelo mercado interno da Jordânia» como «pela plataforma que este país pode significar para outros do Médio Oriente».

O chefe de Estado recordou ainda que, desde a sua visita à Jordânia, «o mundo entrou em crise», justificando desta forma o facto de vários acordos assinados na altura e dos investimentos consequentes não terem avançado significativamente. «É necessário manter a pressão política para estes projectos avançarem mais rapidamente», afirmou.

Gaza e o prémio para Rania

O conflito entre Israel e a Palestina também foi motivo de conversa entre Cavaco Silva e Abdullah II. «Queremos incentivar um importante processo de negociação entre esses países para trazermos finalmente a paz», disse o rei da Jordânia.

Depois do almoço, os reis da Jordânia serão recebidos no Parlamento: Abdullah II vai reunir-se com Jaime Gama e alguns representantes dos partidos, enquanto Rania será homenageada com o prémio Norte-Sul do Conselho da Europa, juntamente com o ex-presidente Jorge Sampaio.

«Eu e a minha esposa queremos associar-nos a essa homenagem, pelo contributo da rainha Rania para os direitos e liberdades das mulheres», congratulou Cavaco Silva.
Catarina Pereira