O PSD considerou hoje que o líder parlamentar do PS, Carlos Zorrinho, desautorizou o secretário-geral socialista, António José Seguro, em relação à proposta para a diminuição do número de deputados.

O deputado do PSD António Rodrigues pediu para questionar Helena André no plenário da Assembleia da República, depois de a deputada socialista ter feito uma declaração política em que considerou que o país está perante uma «governação falhada» PSD/CDS e defendeu que há «alternativas» à política do Governo.

António Rodrigues acusou Helena André de não ter apresentado uma «proposta» e de «dizer apenas mal». E a seguir lembrou que na sexta-feira passada Seguro apresentou publicamente uma «proposta firme, calendarizada, clara, a dizer o que queria».

«Cinco dias depois, os eu líder parlamentar desautorizou o ser secretário-geral», acrescentou António Rodrigues, sublinhando: «Cinco dias depois, uma proposta do PS já não é prioridade, já não é futuro».

«Afinal, já sei por que é que o PS não apresenta propostas: porque no dia seguinte ia renegá-las todas, tal como renegou o memorando [de entendimento assinado com os credores internacionais]», afirmou.

Na resposta, Helena André insistiu em que o PS «tem apresentado alternativas» na Assembleia da República, «mas infelizmente a maioria tem sido incapaz de aceitar qualquer uma», enunciando algumas iniciativas socialistas no âmbito do emprego e da educação, entre outras.

O líder parlamentar do PS considerou hoje que a redução do número de deputados, no âmbito da reforma do sistema político, não é matéria «tabu», mas advertiu que o assunto não é prioritário na agenda dos socialistas.

Carlos Zorrinho falava aos jornalistas no final da reunião do Grupo Parlamentar do PS, em que adiantou que a questão da redução do número de deputados foi objeto de discussão «com muita serenidade».

A questão da reforma do sistema político foi colocada na passada na sexta-feira por António José Seguro, durante um jantar comemorativo da revolução de 5 de Outubro de 1910 em Alenquer.

Confrontado com declarações de vários deputados socialistas que contestam a redução do número de deputados, o líder parlamentar do PS respondeu: «Queremos discutir o tema [da reforma do sistema político] e com outros partidos, com a sociedade portuguesa, porque este não é um tema tabu».

«Não há aqui nenhum recuo, mas ao mesmo tempo não é um tema prioritário. É assim que o Grupo Parlamentar do PS entende», disse.
Redação / CLC