Ricardo Araújo Pereira lembrou que José Sócrates tinha dito que a tia de Francisco Louçã era manso, o que significa que seria a mãe de Vítor Gaspar, primo do fundador do Bloco de Esquerda.

Com Vítor Gaspar do outro lado do espetro político e dois irmãos que abandonaram o Bloco de Esquerda, o humorista provocou o entrevistado, questionando-o se não gostaria de ser como Carlos César e ter toda a família no mesmo partido.

Louçã defendeu a honra do presidente do PS, lembrando que foi o melhor amigo da esquerda durante a campanha, porque foi sempre ele a explicar o que era a maioria absoluta que os socialistas tanto desejavam, ainda que em surdina.

Por isso, espera que Catarina Martins lhe tenha enviado uma caixa de chocolates a agradecer a ajuda dada... Mas uma grande, acrescenta Ricardo.

Sobre as negociações que amanhã se iniciam para a formação de novo governo, qual acha Francisco Louçã que será o dossier mais difícil de resolver? O Serviço Nacional de Saúde, a habitação ou o arrufo eleitoral entre Catarina Martins e António Costa.

Ricardo Aráujo Pereira pergunta o que diria o jovem e rebelde Francisco Louçã, membro do PSR, diria a Francisco Louçã, membro do Conselho de Estado. Duas palavras apenas: "Caminha depressa".