O líder do PSD, Rui Rio, vai reunir-se com os presidentes das distritais na próxima quarta-feira, na sede nacional, para analisar os resultados autárquicos de domingo.

De acordo com a convocatória, a reunião está marcada para as 17:00 e tem como ponto único da ordem de trabalhos a “análise dos resultados eleitorais autárquicos”.

Para a próxima semana, no dia 09, os Autarcas Sociais-Democratas estão também a organizar um encontro para dar as boas-vindas aos novos presidentes de Câmara e convidaram Rui Rio a estar presente na iniciativa, que terá lugar em Coimbra.

No entanto, fonte oficial do partido disse à Lusa que esse convite ainda está “em análise”.

O PS venceu as autárquicas de domingo com 149 câmaras (148 sozinho e uma em coligação) e o PSD conquistou 114 autarquias (72 sozinho e 42 em coligação), melhorando os resultados das autárquicas de 2013 e de 2017, e com a vitória dos sociais-democratas em Lisboa, Coimbra, Portalegre ou Funchal.

Na terça-feira reuniu-se a Comissão Política Nacional (CPN) e no comunicado de conclusões, o PSD reclama o cumprimento integral de todos os seus objetivos, como o aumento do número de câmaras municipais em 16% (de 98 para 114), o aumento do número de vereadores (mais 68), de deputados municipais (mais 114), de juntas de freguesia (mais 40) e de eleitos nas Assembleias de Freguesia (mais 195).

Segundo o PSD, o partido aumentou em mais 373 o número total de eleitos, num total de 13.423, e conseguiu uma “redução significativa da diferença para o PS” (que passou de 63 para 35).

A direção do PSD reiterou as conclusões de Rio na noite eleitoral, considerando que o partido “reforçou significativamente a sua implantação autárquica, de que se destaca uma adesão evidente do eleitorado ao posicionamento do Partido Social Democrata no centro ideológico, no espaço da social-democracia”.

“O PSD está hoje, notoriamente, em melhores condições para ganhar a confiança dos portugueses nas disputas eleitorais que se avizinham”, refere o comunicado da CPN.

Na madrugada de segunda-feira, Rio considerou que o partido teve “um excelente resultado”, que o coloca em “melhores condições de vencer as eleições” legislativas de 2023, mas não quis ainda confirmar se será recandidato à liderança do PSD, para não misturar temas da vida interna com as autárquicas.

Agência Lusa / HCL