Rui Rio e Paulo Rangel não chegaram a acordo sobre a data para a marcação das eleições internas no PSD. Os dois candidatos à liderança do partido estiveram reunidos para tentarem chegar a um consenso, mas acabaram por sair sem acordo.

O Conselho Nacional do PSD vai assim retomar os trabalho sem acordo entre as partes.

O atual presidente do partido, Rui Rio, propôs a data de 20 de novembro para as eleições, enquanto Paulo Rangel prefere a data de 27 de novembro.

Os dois candidatos às eleições diretas estiveram reunidos cerca de 30 minutos e terão, segundo fontes próximas de Rui Rio, acordado no calendário eleitoral. As mesmas fontes indicam que, depois dessa conversa a dois, os apoiantes de Paulo Rangel recusaram o acordo porque previa a abertura dos cadernos eleitorais.

Das janelas do centro de congresso de Aveiro eram visíveis vários apoiantes em torno de Paulo Rangel, o que atrasou o retomar dos trabalhos.

Paulo Rangel terá voltado atrás e fontes de ambos as candidaturas adiantam à TVI que não há acordo.

Além disso, os apoiantes do eurodeputado recusaram abrir os cadernos eleitorais, colocando travão à intenção de Rui Rio, que quer abrir a votação a todos os militantes, incluindo os que não têm as quotas em dia.

Paula Caeiro Varela