A ministra da Saúde quer que todos os portugueses tenham um enfermeiro de família atribuído até ao final da próxima legislatura, à semelhança da meta traçada para os médicos de família.

Na abertura do Congresso Internacional de Enfermagem de Saúde Familiar, em Lisboa, Marta Temido anunciou que o Governo pretende atribuir nos próximos quatro anos uma equipa de saúde familiar a todos os portugueses, que inclua um enfermeiro de saúde familiar.

“Consta do programa eleitoral o objetivo de atribuir médico de família a todos os portugueses. A essa meta juntámos, com a perceção cada vez maior que a prestação de cuidados deve ser feita em equipa, a meta de ter também um enfermeiro especialista em saúde familiar”, afirmou Marta Temido, que continuará à frente do Ministério da Saúde no XXII Governo Constitucional.

Em declarações aos jornalistas, a ministra estimou que atualmente cerca de 70% das equipas de saúde familiar já tenham a inclusão de um enfermeiro especialista.

A ministra frisou, contudo, que o primeiro objetivo é garantir médico de família a todos os utentes do Serviço Nacional de Saúde, meta que estava definida no anterior programa do Governo e que não foi cabalmente cumprida durante a legislatura.

Durante a sessão de aberta do Congresso de Enfermagem de Saúde Familiar, a ministra disse que a "efetiva implementação" da ação do enfermeiro de família no SNS tem tardado, mas que não é possível esperar mais.

Apesar do mandato e do esforço realizado pelos grupos de trabalho constituídos, em 2012, em 2016 e em 2019, para preparar a legislação sobre a metodologia de ação do enfermeiro de família, a efetiva implementação no SNS tarda em ocorrer, ainda que dela necessitemos com urgência, e não obstante a tentativa, em 2015, de avançar com as primeiras experiências piloto em Portugal Continental", declarou no seu discurso aos profissionais de enfermagem.

Marta Temido considera que o SNS tem o que é necessário ao avanço da enfermagem familiar: "Temos especialistas, com competências bem definidas e altamente competentes, temos enfermeiros experientes, temos programas de formação sólidos, baseados no melhor conhecimento disponível. Temos vontade. Não vamos perder a oportunidade de lançar a enfermagem de família como um dos pilares dos cuidados de saúde primários".

Na próxima legislatura, queremos garantir uma equipa de saúde familiar a todos os portugueses e esta equipa tem de incluir o enfermeiro de família. É a este enfermeiro que caberá cuidar da família e de cada um dos seus membros, ao longo do ciclo vital e dos diferentes níveis de prevenção", concluiu.