O secretário-geral do PS disse hoje que segue com atenção e preocupação o número «anormal» de casos fatais de gripe em Portugal, e aguarda que os responsáveis públicos pela saúde «corrijam» este problema, noticia a Lusa.

«Seguimos com atenção este número anormal de mortes para esta altura do ano, já que alguns especialistas dizem que os vírus que são normais, não justificam tudo», disse António José Seguro, no final da visita que efetuou à unidade de cuidados continuados Al-Vita, em Portimão.

O líder do PS disse ainda que não compreende «como é que o secretário de Estado Adjunto da Saúde, Leal da Costa, considera normal haver este número de mortes em Portugal»

«Se é normal para o senhor secretário de Estado haver este número anormal de mortes em Portugal, eu não compreendo», sublinhou.

O secretário de Estado Adjunto da Saúde disse hoje, durante a inauguração da Unidade de Cuidados Continuados de Mangualde, que o número elevado de mortes resultou da junção de fatores como a persistência de uma estirpe gripal violenta, o tempo seco e ainda a vaga de frio.

Segundo o governante, os dados disponíveis apontam para um decréscimo acentuado no número de casos fatais de gripe.

Para António José Seguro, «é importante não criar nenhum alarido público sobre esta matéria», acrescentando que os «responsáveis pela saúde pública têm de olhar para estes factos e tentar corrigi-los».

Ao cumprir mais uma etapa da semana «Em defesa da saúde», o secretário-geral do PS classificou «uma mais valia» a criação de unidades de cuidados continuados de saúde, no sentido de diminuir custos.

«Uma cama nas unidades de cuidados continuados fica mais barata ao Estado do que uma cama num hospital, e é uma forma de diminuir custos sem diminuir os cuidados de saúde às pessoas», realçou.

Para António José Seguro, numa altura em que «tantos portugueses têm dificuldades de acesso por razões económicas, é muito importante que o Governo continue esta estratégia iniciada pelo Governo anterior de alargar a rede».

O líder do PS termina o dia com uma visita ao Serviço de Urgência do Hospital de Faro, agendada para as 23:00.
Redação