PS e PSD voltam a descer nas intenções de voto, segundo a sondagem diária da Pitagórica para a TVI, JN e TSF.

O PS cai para os 37,1% das intenções de voto e o PSD para os 26,4%.

Ao oitavo dia de sondagem, 10,7 pontos percentuais separam os dois partidos.

Nota para a queda acentuada do CDS que, pela primeira vez, desce abaixo dos 4%, situando-se agora nos 3,6%.

Também o PAN perde 5 décimas, ficando agora nos 3,1%.

Em sentido contrário está o Bloco de Esquerda, que sobe 3 décimas e mantém-se acima dos 10 pontos.

A registar, igualmente, neste dia de sondagem, a forte recuperação da CDU, que consegue recuperar mais de 1 ponto, situando-se agora nos 6,4% de intenções de voto.

Nas linhas de tendência verificamos que PS, PSD, CDS e PAN estão em queda, mas é Assunção Cristas que regista a descida mais acentuada.

Bloco de Esquerda recupera ligeiramente, sendo a CDU que consegue conquistar mais votantes neste dia.

FICHA TÉCNICA SONDAGEM

Durante quatro dias (24 a 27 de Setembro 2019) foram recolhidas diariamente pela Pitagórica para a TVI, o JN e a TSF uma sub-amostra de 150 entrevistas, representativa do universo eleitoral português (não probabilístico), tendo por base os critérios de género, idade e região.

O resultado do apuramento dos quatro últimos dias de trabalho de campo implica uma amostra 600 indivíduos que, para um grau de confiança de 95,5%, corresponde a uma margem de erro máxima de ±4,07%. 

A seleção dos entrevistados foi realizada através de geração aleatória de números de “telemóvel”, mantendo a proporção dos três principais operadores identificados pelo relatório da ANACOM. Sempre que necessário são selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral.

As entrevistas são recolhidas através de entrevista telefónica (CATI – Computer Assisted Telephone Interviewing).

O estudo tem como objetivo avaliar a opinião dos eleitores portugueses sobre temas relacionados com as eleições, nomeadamente os principais protagonistas, os momentos da campanha, bem como a intenção de voto nos vários partidos.

A taxa de resposta foi de 60,30,%, a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva. A taxa de abstenção expressa na sondagem é de 5,3% a que acresce 41% que, na abordagem inicial, se recusaram a responder à entrevista por não pretenderem votar nesta eleição, totalizando 46,3% de abstenção.

 A Ficha Técnica completa, bem como todos os resultados, foram disponibilizados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social que os disponibilizará oportunamente para consulta online.