O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, manifestou-se profundamente chocado e consternado com o «trágico incidente» na Escola Secundária de Albertville, na Alemanha.

«Foi com profundo choque e consternação que tomei conhecimento do trágico incidente na Escola Secundária de Albertville, em Winnenden, no Estado de Baden-Württemberg, do qual resultaram várias vítimas mortais», lê-se na mensagem enviada por Cavaco Silva ao seu homólogo alemão, Horst Köhler.

Na missiva, o chefe de Estado apresenta ainda em seu nome e em nome do povo português «sinceras condolências às famílias das vítimas».

«Quero apresentar a Vossa Excelência, em nome do Povo Português e no meu próprio, os sentimentos do nosso profundo pesar, pedindo-lhe igualmente que se digne transmitir às famílias das vítimas a expressão das nossas sinceras condolências e muito sentida solidariedade», refere o chefe de Estado português.

Um jovem de 17 anos entrou ao princípio da manhã na escola secundária Albertville, dirigiu-se às salas de aulas e matou a tiro nove alunos e três professores, pondo-se depois em fuga, matando ainda uma empregada de uma clínica das proximidades, e mais tarde, já em Wendlingen, a cerca de quarenta quilómetros da escola, dois transeuntes, durante um tiroteio com a polícia, que conseguiu cercá-lo.

Fontes policiais disseram, entretanto, que o homicida foi primeiro atingido por um tiro da polícia, e depois se suicidou, colocando o balanço final do massacre em 16 mortos.

Ficaram ainda feridas oito pessoas, algumas das quais com gravidade, entre as quais os dois polícias envolvidos no tiroteio em Wendligen.