O líder do CDS-PP referiu, este sábado, que quer discutir o decreto-lei de concessão do TGV no Parlamento para «tentar travar» o projecto, porque «o país não pode fazê-lo» e o Governo tem o «dever» de «aguardar» pela votação, noticia a Lusa.

«Está ao meu alcance travar o TGV neste momento, porque o país não pode fazê-lo, e eu vou tentar», afirmou Paulo Portas, durante uma visita à Ovibeja, explicando que «o CDS, assumindo as suas responsabilidades, chamou o decreto do TGV ao Parlamento e agora cada um vote conforme a sua consciência».

De acordo com o líder dos democratas cristãos, «se está marcada uma votação para o Parlamento», no próximo dia 28, «é dever de um Governo democrático aguardar por essa votação, porque o que existe neste momento é uma adjudicação provisória, não existe um contrato assinado».
Redação / VG