José Sócrates quebrou o silêncio e aceitou comentar alguns aspetos da sua vida privada, nomeadamente o que diz respeito à sua ida para Paris. O ex-primeiro-ministro confirma que esteve inscrito num mestrado em Ciência Política na Sciences Po.

«Quando perdi as eleições achei que era o momento para cumprir um sonho, de ter um ano sabático, viver no estrangeiro e estudar, para além de recuperar a ligação aos meus filhos e à família, tentando recuperar o tempo perdido», contou, tentando desmontar algumas notícias.

«O Correio da Manhã fez uma campanha ignóbil dizendo várias mentiras. Que tinha uma vida de luxo, que tinha sido recusado três vezes pela universidade, o que era tudo mentira. Tenho uma conta bancária na Caixa Geral de Depósitos há mais de 25 anos, nunca tive ações, nem off-shores. Nunca tive nenhuma poupança nem conta a prazo», esclareceu, dando mais pormenores:

«Pedi ao meu banco um empréstimo para ir viver um ano em Paris. Foi um ano e meio de estudo. Agora recomecei a trabalhar. Acabei de pagar a minha casa e como tinha um passado limpo pedi um novo crédito, que foi concedido».