O presidente do PSD-M, Alberto João Jardim, disse este sábado que «uma praga» de nome José Sócrates Pinto de Sousa caiu em «cima dos madeirenses» que ambiciona «cortar as pernas a quem quer trabalhar» e fazer a «vida-negra» à Madeira, noticia a Lusa.

Alberto João Jardim fez esta declaração no jantar-comício do PSD-M na Ribeira Brava onde referiu que a vida corria bem na Madeira quando apareceu «um cavalheiro bem-falante, de seu nome José Sócrates Pinto de Sousa».

«Não se riam, também me apetece rir mas há que ter caridade cristã», apelou, acrescentando que «esse cavalheiro passou a nos fazer a vida negra».

«Não só fez mal aos portugueses como fez mal, como ninguém, ao povo madeirense», declarou.

Para João Jardim, «é inadmissível que Portugal tenha um primeiro-ministro» que «quer cortar as pernas» e «não deixar trabalhar» o povo madeirense.