A deputada do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) Heloísa Apolónia falhou hoje a eleição à Assembleia da República e vai sair do Parlamento onde entrou pela primeira vez há 24 anos.

Heloísa Apolónia, 50 anos, jurista, concorreu como cabeça de lista pela CDU (PCP/PEV) pelo distrito de Leiria, círculo em que a coligação (então designada APU) não elege desde 1985.

A dirigente do PEV foi eleita pela primeira vez na VII legislatura, em 1995, pelo distrito de Setúbal, e desde aí foi sucessivamente eleita pelo mesmo círculo eleitoral.

O PSD venceu no distrito de Leiria as legislativas de hoje, com 33,51% dos votos e 5 deputados eleitos, obtendo o PSD 31,07% e 4 deputados e o Bloco de Esquerda elegeu um deputado.

Foram 24 anos no Parlamento a defender as causas ambientais e sociais. Agora, espera-me outra frente partidária para continuar essa luta. Tenho vários projetos na cabeça, mas ainda nada está definido”, afirmou a jurista, que começou por ser assessora do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), ainda na década de 1990.

A deputada ecologista garantiu que vai estar “empenhada, com a experiência adquirida, a ajudar o grupo parlamentar” e terá “um papel maior na dinamização e vida interna do partido”.

[O resultado eleitoral] Não foi positivo para os avanços que poderiam ser conseguidos para o país, mas a CDU lá estará, a propor e a continuar o seu trabalho por melhores condições de vida das pessoas”, disse Heloísa Apolónia, sobre a votação de domingo na qual a CDU perdeu vários mandatos a nível nacional, recuando em termos de percentagem e votos face a 2015.

 
/ CM