O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Amado considerou esta terça-feira que os discursos do Presidente da República e do primeiro-ministro foram «os que se impõem nas actuais circunstâncias» e afirmou que o «sucesso do executivo será o sucesso do país».

«Os principais responsáveis políticos, o primeiro-ministro e o presidente da República fizeram os discursos que se impõem nas circunstâncias actuais», disse, citado pela Lusa.

Amado, que abandona esta terça-feira formalmente as funções de ministro do Estado e dos Negócios Estrangeiros, falava aos jornalistas no final da tomada de posse do XIX governo constitucional, que decorreu no Palácio da Ajuda.

Questionado pelos jornalistas sobre que conselho daria ao novo Executivo, Luís Amado rejeitou esse papel: «Não dou conselho nenhum, nem tinha que dar, desejo muitas felicidades a este Governo».

Luís Amado, que ficou fora das listas do PS nas últimas legislativas, lembrou que este «é um Governo que toma funções em circunstâncias muito difíceis, que tem desafios tremendos pela frente», acrescentando: «Acho que é importante que o país tenha confiança no seu Governo sobretudo nesta fase em que é indispensável mobilizarmos as energias de todos».

Amado reforçou os votos de «muito sucesso» ao novo Governo, porque «isso será também bom para o país».