A Comissão Europeia (CE) e Portugal estão em convergência sobre o destino dos fundos disponibilizados para o projeto de alta velocidade TGV, abandonado na quarta-feira pelo Governo, disse hoje em Lisboa José Manuel Durão Barroso.

De acordo com a agência Lusa, o presidente da CE afirmou ainda que Portugal vai permanecer em todos os programas de financiamento acordados originalmente e integrar as redes transeuropeias.

«Existe uma convergência entre a Comissão e as autoridades portuguesas nesse aspeto. Tanto quanto sei, Portugal ficou em todas as redes, mas, do ponto de vista português, houve a vontade de uma reprogramação, nomeadamente dos níveis da velocidade», referiu.

O presidente da CE, que falava aos jornalistas à saída de uma conferência sobre Portugal e o futuro da Europa, precisou: «Portugal fica nas redes transeuropeias e estamos a trabalhar com as autoridades portuguesas para ver como podemos reafetar os fundos, de maneira que Portugal não perca nada do que teria a beneficiar em termos de financiamento, porque é importante para o investimento no nosso país».

Ao ser questionado sobre a recente decisão do Tribunal de Contas, que na quarta-feira «chumbou» o projeto do TGV, o presidente da CE disse «desconhecer a decisão», mas sublinhou a «importância de comissões independentes» no espaço europeu que exerçam uma função de fiscalização.

«Vamos ver o que se passou exatamente, mas não é isso que está a pôr em causa o compromisso da CE com Portugal e com o desenvolvimento dos programas portugueses dentro da rede transeuropeia de transportes», argumentou.

«Penso que é do interesse português estar nessa rede e é, com certeza para nós, uma prioridade na CE que o conjunto da Europa se venha a integrar nessas redes e que o investimento previsto venha a ser efetuado», concluiu.
Redação