O PCP descreveu as medidas anunciadas esta quarta-feira à tarde pelo ministro das Finanças como «um escandaloso roubo», defendendo que são tão ou mais gravosas do que as previstas com a proposta de alteração à Taxa Social Única (TSU), já retirada.

«O Governo acabou de anunciar mais um escandaloso roubo aos trabalhadores e ao povo. Trata-se de retirar tanto ou mais do que seria retirado com o aumento de sete pontos percentuais à TSU», disse Jerónimo de Sousa esta tarde no parlamento, após a comunicação de Vítor Gaspar.

Para o secretário-geral dos comunistas, «o Governo quer fazer dos trabalhadores e dos reformados de parvos e fingir que não retira o que afinal vai retirar de forma agravada».

O PCP defende que o Executivo «deixou de fora o fundamental». «Enquanto retiram milhares de milhões de euros aos trabalhadores, vão buscar umas dezenas ao capital», disse.

Jerónimo de Sousa censurou ainda o «discurso de 25 minutos de palha» do ministro, «a falar de sucessos», para «terminar a dizer que o desemprego vai aumentar, que o PIB vai diminuir e que a austeridade vai continuar».

O líder comunista salientou que o anúncio só «reforça o valor» da moção de censura apresentada pelo seu partido, que vai ser debatida esta quinta-feira no Parlamento.
Redação