A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira um voto de pesar pelas vítimas mortais da pandemia da covid-19 registadas em Portugal, destacando o trabalho dos profissionais de saúde na linha da frente.

O voto, apresentado pelo Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, foi aprovado por unanimidade em sessão plenária e cumprido um minuto de silêncio.

O parlamento expressou, deste modo, o seu pesar “pelas vítimas mortais da covid-19, endereçando às famílias enlutadas a sua solidariedade e as mais sinceras condolências”.

Infelizmente, não obstante o esforço desenvolvido contra este flagelo, e da dedicação, competência e profissionalismo de tantos que estão na linha da frente deste combate – destacando-se, entre tantos outros, os profissionais de saúde – os piores efeitos registam-se em vítimas mortais por covid-19, que à data de ontem ascendiam a 16.951”, lê-se no texto.

A iniciativa assinala que desde há um ano Portugal e os portugueses estão sujeitos à pandemia, “que alcançou proporções sem paralelo na história recente e cujas graves consequências, em termos de saúde, sociais e económicas, são ainda imprevisíveis”.

A luta contra esta pandemia passou por tentar abrandar a progressão da doença, nomeadamente ao nível da sua transmissibilidade, assim como pela mitigação de algumas das suas consequências mais graves”, lembra o projeto.

Para isso, continua o texto, foi necessário “recorrer a medidas restritivas, incluindo as duas declarações de estado de emergência, que a Assembleia da República foi chamada a autorizar, bem como às respetivas renovações, e que se traduziram em limitações a alguns direitos, liberdades e garantias, a que a população soube responder, cumprindo de forma disciplinada, paciente e serena as recomendações das autoridades de saúde”.

/ HCL