O primeiro-ministro afirmou esta terça-feira que o Governo não muda em função de circunstâncias e que terá uma relação institucional leal com o próximo chefe de Estado, seja a escolha dos portugueses "uma Presidente ou um Presidente".

Esta mensagem foi transmitida por António Costa na cerimónia de apresentação de cumprimentos de boas festas do Governo ao Presidente da República, em que o primeiro-ministro participou este ano por videoconferência por se encontrar desde quinta-feira em isolamento profilático preventivo da covid-19.

O Governo não muda em função dos presidentes [da República] ou das circunstâncias. Foi assim com o seu antecessor [Aníbal Cavaco Silva], tem sido assim ao longo destes quatro anos com vossa excelência e será assim até ao dia 09 de março no exercício do seu mandato", declarou o primeiro-ministro, dirigindo-se a Marcelo Rebelo de Sousa.

António Costa salientou depois, neste mesmo contexto, que a mesma relação de cooperação institucional será mantida pelo Governo com a Presidente ou o Presidente que os portugueses vierem a eleger" nas eleições presidenciais de 24 de janeiro.

Segundo o líder do executivo, o atual Presidente da República "sabe que pode contar, como contou ao longo destes quatro anos, com a cooperação leal e franca do Governo até ao próximo 9 de março", o dia em que Marcelo Rebelo de Sousa termina o seu mandato.

E que, seguramente, a Presidente ou o Presidente que vier a ser eleito pelos portugueses no dia 24 de janeiro continuará a contar com a cooperação franca e leal do Governo", reforçou.

/ HCL