Três clientes do BPN vão avançar até ao final da semana ou no início da próxima com queixas-crime contra responsáveis da instituição pela forma como viram o seu dinheiro aplicado em obrigações da Companhia de Cimentos Nacionais e Estrangeiros (CNE), que integra o grupo SLN, noticia o «Correio da Manhã». Segundo o jornal, um outro cliente já formalizou a queixa no final de Julho.

Em causa estão três gestores de conta e um actual director de agência que os clientes acusam de burla e de abuso de confiança.

Segundo os queixosos, foram dadas garantias pelos trabalhadores do banco, da ausência de risco na aplicação. «Alguns gestores enganaram os clientes apenas para cumprir objectivos comerciais», disse ao «Correio da Manhã» uma fonte a par do processo.